Noroeste gaúcho produz excelente vinho

Vinícola Weber, de Crissiumal, na fronteira com a Argentina, já conquistou vários prêmios com seu espumante Constelações. Agora é a vez do Décima Colheita Cabernet Sauvignon 2014, um topo de linha surpreendente

Rodrigo Leitão

Eu conheci a Vinícola Weber em 2016, quando preparava a carta de participantes da sexta edição do Brinda Brasil – Salão do Vinho e Espumantes Brasileiros, em Brasília. Eu havia experimentado o belo Chardonnay Instantes, sem madeira, em Chapecó (SC) e já estava interessado no trabalho quando conversei, por telefone, com o diretor comercial da vinícola, o Henrique Gottens. Fui muito bem atendido por ele e a sua esposa, Tatieli Weber. Daí em diante, me aproximei da família, fiquei amigo e, hoje, rótulos Weber fazem parte das minhas degustações em casa.

Em 2017, também no Brinda Brasil, em Brasília, o espumante Constelações – Cruzeiro do Sul chamou atenção de público e crítica, especialmente porque acabara de vencer o concurso dos melhores champenoises brasileiros. Desde 2016, a Vinícola Weber é um dos principais destaques dos eventos de degustação de vinhos que promovo em Brasília, Goiânia e Joaçaba, no Meio Oeste de Santa Catarina.

Mas quero falar de um vinho muito especial produzido pela família Weber, ali perto da fronteira do Brasil com a Argentina, no Noroeste do Rio Grande do Sul, e que é elaborado pela talentosa enóloga Taciana Weber: Décima Colheita Cabernet Sauvignon 2014.

Para chegar ao mercado, este vigoroso vinho de uvas Cabernet Sauvignon, de plantio próprio da Weber, ficou 40 meses maturando em garrafa. Isso proporcionou uma coloração vibrante, vermelho rubi, que permite ver a bebida sem barreiras e muito brilhante.

O Décima Colheita é um vinho para ser guardado ainda uns quatro anos, quando ficará no seu auge, em 2024! Mas já está na sua faixa de ascendência para consumo, acompanhado de um belo cordeiro ou de cortes rústicos de carne de gado, como o Filé Americano típico do Oeste sulista. Seus aromas de cassis, canela e pimenta incitam a busca pela carne vermelha, embora seja possível, pelo olfato, apreciar um suculento pernil ao seu lado.

Por ser um vinho mais complexo, é preciso esperar um pouco na aça para que ele abra e revele também compotas de ameixa, além de uma sutil madeira. O melhor mesmo é decanta-lo, pelos menos 30 minutos antes de servir, para que o Décima Colheita te surpreenda de imediato!

Por apresentar taninos aveludados, a melhor harmonização vai para pratos com molhos fort4es, carnes ensopadas, ou uma costelinha de porco frita acompanhada de polenta. A boa acidez deste vinho sugere seu caráter gastronômico. É um vinho muito equilibrado e de presença marcante, persistente, que fica por um tempo no final de boca. É um vinho com 13% de graduação alcoólica e deve ser servido a uma temperatura entre 16 e 18 graus.

Henrique e Tatiele informam que se trata de um lote limitado, comemorativo à Décima Colheita da vinícola. O preço para compra pela internet é de R$ 81,00.

A Vinícola Weber surgiu no ano 2000, em Crissiumal, no noroeste do Rio Grande do Sul (fronteira com a Argentina). No início, eram produzidos pequenos lotes, apenas cinco rótulos de vinhos finos. Hoje, dirigida por Décio Weber, mantendo o conceito de boutique, a Weber possui cinco rótulos em sua carta, com 11 produtos, além de um ótimo suco de uva e a produção de vinhos por encomenda.

“O foco da Vinícola é a elaboração de lotes pequenos de vinhos e espumantes, lotes especiais e únicos, com características que refletem o melhor do terroir do noroeste gaúcho”, explica a enóloga Taciana Weber.

…………………………………………..

SERVIÇO:
Vinícola Weber – Zona Weber, Crissiumal, Rio Grande Do Sul, Brasil, CEP: 98640-000. Aberta para visitação das 13h às 18h. Telefone: (55) 3524-1227. E-mail: vinicolaweber@vinicolaweber.com.br. Site: http://www.vinicolaweber.com.br/

Marcado , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.